terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

O Tal Caso da Previdência

O Tal Caso da Previdência Com relação à Previdência sempre me pergunto para onde vai o resultante em dinheiro da produção do excedente.Não será o caso de pensar que o dinheiro que está faltando é o dinheiro resultante da produção do excedente que vai para mão de poucos?Este dinheiro,o da produção do excedente,é controlado pela minoria de banqueiros e industriais que controla a riqueza mas é produzido por milhares.Por exemplo,numa fábrica de sapatos,se,em oito horas o trabalhador produz o equivalente a dezesseis horas este dinheiro vai para as mãos do dono da fábrica mas quem gera a riqueza é o trabalhador.Se os operadores de telefonia não estiverem a postos a sociedade não tem telefone.As empresas de telefone vão falir.Se for colocado o excedente em circulação acabou o rombo na Previdência.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Sangrias

Vertências Cantam sangrias nas minhas vertências...... Cantam vertências nas minhas sangrias...... O sol balbucia beijos nas entrelinhas do vento..... crianças correm no passeio..... contei histórias nos altares da inocência..... hoje,batizo sombrios caminhos nas esquinas da cidade..... ouço as gargalhadas dos mendigos..... roucas...... roucas...... pedindo um lugar no universo...... minhas sangrias contam histórias..... A professora que não conseguiu aposentar...... a criança de dez anos que sumiu....... cantam sangrias nas minhas vertências...... Helenice Rocha

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Barrela Cicatrizes de lama sangram...... a pele da terra regorgita sonhos enterrados num tempo sem nome...... companheiros deixaram os corpos em cemitérios clandestinos..... abraçando grito e pó ouço vozes..... O Povo! Unido! Jamais será vencido!........ O sangue e a lama guardam os corpos de companheiros ........ Cicatrizes de água gritam........ Companheiros jogados ao mar se transformam em sal...... As veias da água guardam o sal de companheiros jogados ao mar....... Onde José,João,Marias...... nas avenidas em fogo quando homens e mulheres gritavam........ O Povo! Unido! Jamais será vencido!........ Eu,adolescente,nas avenidas,entre cavalos,balas de borracha,....... enfrentei uniformes e botinas....... de sandálias ......... Helenice Maria Reis Rocha

Barrela

Barrela Cicatrizes de lama sangram...... a pele da terra regorgita sonhos enterrados num tempo sem nome...... companheiros deixaram os corpos em cemitérios clandestinos..... abraçando grito e pó ouço vozes..... O Povo! Unido! Jamais será vencido!........ O sangue e a lama guardam os corpos de companheiros ........ Cicatrizes de água gritam........ Companheiros jogados ao mar se transformam em sal...... As veias da água guardam o sal de companheiros jogados ao mar....... Onde José,João,Marias...... nas avenidas em fogo quando homens e mulheres gritavam........ O Povo! Unido! Jamais será vencido!........ Eu,adolescente,nas avenidas,entre cavalos,balas de borracha,....... enfrentei uniformes e botinas....... de sandálias ......... Helenice Maria Reis Rocha

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Solidariedade

Peço aos leitores deste blog uma ajuda humanitária às crianças carentes do Bairro Jardim Canadá Nova Lima Minas Gerais Consiste em levar fraldas,leite,pães,biscoitos Pois se trata de situação de extrema necessidade O endereço é Rua Rainha Elizabeth número 560 Grata pela compreensão

domingo, 28 de agosto de 2016

Noite Ensolarada

Noite Ensolarada Pensando na minha doce interlocução com papai,nas estradas de Minas,no escritório lá de casa,pelas madrugadas,lembro-me dele me dizer que,o que a maioria dos músicos pensa que é desafinação,é a capacidade de ouvir outros sons Então,íamos da escala cromática do século dezoito e tentávamos ouvir os Comas Ele me dizia que os Africanos,os Indianos têm uma percepção dos comas,que sãos os sons que estão entre os semitonsIsto me remete muito às Inxcelências,aos cantares do Rosário.....mas conhecíamos a linguagen da convenção Européia Estudamos Villa Lobos,Radamés,que dedicou dois concertos a ele,Kachaturian,Daniele Zanetovich,Bartok,Malcoln Arnold....Ele tocou toda a vanguarda do século vinte que conseguiu transcrever para a harmônicaTinha o cabelo todo enroladinho,muito moreno,parecia um hinduMuito lindoTrabalhamos exatamente vinte anos(1961 à 1982) ,a noite toda,com análise musicalMeus irmãos e eu viajámos muito com ele pelas estradas de Minas Claudio era lourinho Tinha o apelido de garrafinha de leite Minha mãe me disse uma vez que achava lindo ver os dois saindo de madrugada juntos,para as estradas Um lourinho de três aninhos e um lindo moreno,introspectivo,intelectualAlgumas vezes fomos denunciados porque fazíamos música de madrugada Toda a vizinhança amava a música dele mas um dos vizinhos não gostava Aí,minha prima falava,Tio Aluísio,o fulano chamou a polícia A gente esperava os homi passarem e começava tudo de novoAquele termo do Vianinha tá errado......Dura lex Sed Lex,no cabelo só gumex....Nós somos mestiços de indígenas,africanos,portugueses Eu pareço uuma portuguesinha de fado Mas grande parte dos policiais linha dura da década de setenta tinha origem européia,alguns louros,de olhos azuis.Claudio,meu lourinho amado,hoje com o cabelo acastanhado,era um espírito tão simples que ,aprendendo com papai a amar as estradas,decidiu que,quando crescesse,queria ser caminhoneiroMeu pai tinha um xará,um homônimo,advogado.Nunca o conhecemos pessoalmenteAo que parece foi advogado de uma grande empresa aéreaBem,cá estamosMeu pai me explicou a sereiedade da música de João Gilberto,(O desafinado) porque,do seu ponto de vista induzia os músicos a pensar o som além da escala cromática,a perceber os Comas,Quero fazer uma ponte entre Arte e Ciência mas Deus não fez o mundo em um dia Vou aos pouquinhos .....Como dizia meu orientador de Mestrado,é preferivel escrever quinze minutos todo dia do que dez horas em um dia e largar tudo o restante do mês....falava no Eclesiastes que é uma obra prima de Lírica.......Beijin,Beijin,,,,,Beijin....prá quem lê e noite,para quem lê de dia, ou nas lindas manhãs vesperais

domingo, 24 de julho de 2016

A PAZ NEGOCIADA

A PAZ Negociada Porque os terroristas atacam gente desarmada ?Porque gente desarmada não tem dinheiro para pagar o PetróleoPorque os americanos atacam os terroristas?Porque os terroristas não são donos dos campos de PetróleoApenas exterminam gente inocente para que fiquem sobre o planeta apenas a pouca gente endinheirada que pode arcar com os custos e preços da economia do dólarQue interesse tem para a economia do petrdólar gente doente nos hospitais,gente desarmada e pobreNão podem pagar o preço do petróleo A lógica é de extermínio da humanidade pobreSimples assimO que dizer sobre uma Cultura de PAZ se os exércitos estão armados para defender os direitos dos países ricos?Que estranho acordo a Rússia faz com o presidente sírio?Provavelmente PetrdólaresA Indústria da guerra também não discrimina se o comprador oriental compra armas do negociante americanoO terrorismo não atinge os grandes banqueiros e industriais envolvidos nos grandes negócios mas atinge gente inocente e desarmadaProponho aqui uma moeda da PAZ O controle dos custos e preços para a sobrevivência das populações pobresVerbas para escolas e hospitais E muita oração Ghandi orava nas ruas da Índia Oração para que a misericórdia divina chegue às pessoas pobres e desarmadas que estão morrendo nos bombardeios,nas igrejas,nos hospitais,nas escolas Muita oraçãoOração por mais amor entre os homensPor mais perdão nos mínimos gestosPor um acordo entre as diferentes religiõesEnquanto os homens se matam por pequenas diferenças,os negócios do Petrdólar prosperam Helenice Maria Reis Rocha